terça-feira, 6 de novembro de 2012

Amor que não se mede

Eu tento mensurar o amor que sinto, mas não tenho sucesso.

Como medir o que não tem tamanho?

Como falar da importância de alguém se esse próprio alguém já é a sua vida?

Como dizer que por essa pessoa hoje o mundo é mais colorido e tudo faz mais sentido se ele já é meu mundo?

Como dizer da minha importância na sua vida se durante tanto tempo fui sua bebida e sua comida, e fui suficiente.

Queria prender meus sentimentos através do tempo para naqueles momentos em que você pensar que ninguém sente amor por você, eu te cobrir de beijos e palavras de carinho.

Não quero prender meus sentimentos para você me ver chorando quando fizer sua primeira viagem sozinho e ter certeza que uma mamãe muito babona e coruja vai estar sempre te esperando.

Queria poder congelar cada imagem ao acordar, cada sorriso, cada chorinho de quem quer dengo, cada beijinho na boca que você me dá, cada pergunta que você faz e eu não sei a resposta, cada palavra que sai da sua boca, cada olhar que você dá, cada franzidinha de testa, cada bico maior do mundo, cada vez que você tenta fazer o número dois e três com os dedinhos, cada segredo contato baixinho ao pé do ouvido (te amo)...e depois cada vezinha que você me imita quando logo após eu digo "ôô que coisa mais linda. Também te amo!"

Esse tipo de amor não tem medidas. Nunca terá.

Não é clichê quando digo que amor de mãe é único, e só quem é MÃE sabe do que estou falando.

Filhão, Te amo mais que tudo no mundo. Te amo. Te amo.

Mami B.




quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Riq, o príncipe de todas as Cinderelas

Quero nem comentar esse todas do título porque já me encho de ciúmes!!

Já tem algum tempo que Riq aprendeu a montar peças tipo Lego. Certo dia, enquanto eu estava arrumando a casa, ele estava brincando e me chamou.

Riq- Mãe, mãe! Vem cá ver o que eu estou fazendo!
Eu- Oi, filho. O que é isso?
Riq- É um castelo, mamãe.
Eu- Mas que lindo, filho! Parabéns!
Riq- É o seu castelo, mãe. Você é uma princesa, a princesa Cinderela. E eu sou o príncipe.
Eu- E papai? É príncipe também?
Riq- Não, mamãe!! (Quase chorando) Só eu sou seu príncipe! Só eu.

Não obstante, esse mocinho diz que é príncipe de outras princesas! E chega a minha vez de dizer que ele é só meu. Mas, a conversa dele muda. E ele passa a dizer que mesmo só ele sendo príncipe tem outras menininhas que são princesas Cinderela.

É cada uma..

Te amo, te amo!

Mami B.

Meu príncipe

Henrique está mais sabido que nunca!
No segundo semestre mudou de turma! Fiquei feliz pela evolução que ele apresentou, mas, ao mesmo tempo, estava cheia de dúvidas.
Levou uma semana até que ele estivesse adaptado à nova salinha e no começo ele dizia que não gostava, que queria voltar pra sala de Tia Zilma porque Tia Suzana era chata e fazia (SSHH). Toda vez fico rindo quando conto essa história.
A verdade é que ele evoluiu de maneira incrível! Passou a prestar mais atenção quando a gente fala, procura entender melhor as coisas, pergunta o porquê de tudo, adora ler, desenhar, pintar, assistir desenhos e filmes, escutar música, jogar bola, tocar guitarra, tomar banho de piscina, ir à praia, passear de carro, etc.
À tarde ele volta pra antiga salinha para fazer atividades de recreação. E as tias dizem que ele come e pede loo pra voltar porque é de fato apaixonado pela Tia Zilma! Coisa fofa.
No entanto, ele já fala que ano que vem vai pra salinha de Tia Dani. E eu que estava super aflita, pensando como seria mais uma mudança na vidinha dele, ele vem com essa história de que já entende tudo e já sabe que ano que vem vai mudar de sala.
Ah! E ainda quer jogar futebol! Ontem ele estava jogando com Pedro e disse que vai ser jogador.
E puxando o assunto... Perguntei ao lindão o que ele quer ser quando crescer e a resposta foi simples: adulto.

Te amo, filho lindo!!!
Te amo muito!!